A sua dúvida é causada por causa da tradução que você está lendo, que provavelmente é a Almeida. Nessa tradução temos a seguinte frase: Volta, volta, ó Sulamita; volta, volta, para que nós te vejamos. Por que quereis olhar para a Sulamita como para a dança de Maanaim? Lendo outras traduções podemos entender melhor. A Bíblia de Jerusalém traduz assim: Volta-te, volta-te. Sulamita, volta-te, volta-te… queremos te contemplar! Ah! Vós a contemplais a Sulamita, como uma dança em dois coros. A Bíblia Edição Pastoral traz: Vire-se, vire-se, Sulamita. Vire-se, vire-se... queremos contemplar você! Sulamita: «O que vocês olham na Sulamita, quando ela baila entre dois coros?»

O texto da versão Almeida não é errado (também a edição Ave Maria tem o mesmo texto). Porém não dá uma tradução ao vocábulo hebraico “Maanaim”, mas apenas o transcreve. As outras versões, invés, traduzem esse vocábulo. O vocábulo hebraico tem como raiz a palavra que descreve o acampamento. O vocabulário diz que a palavra pode ser traduzida como “campo”, “lugar de acampamento”, “grupo de pessoas”, “batalhão”. Penso que as outras traduções propostas, usando “entre dois coros” rendem perfeitamente a idéia. Se quiséssemos ser mais pertinentes ao contexto da dança, não estaríamos errados se usássemos o vocábulo “companhia”, isto é: Sulamita dança em um grupo, num grupo de bailarinos. Pode tratar-se, segundo a opinião de alguns críticos, de uma dança nupcial ou guerreira, em dois grupos ou dois parceiros, ritmada pelo coro.