Siga-nos no FaceBook




Lugares bíblicos

Na oração de Jesus pedindo ao pai que passase dele "o calice", qual é o verdadeiro significado do "calice"?

Pergunta de Gilherme, Marilena
Resposta de Luiz da Rosa, em 10/02/2008


Leia mais sobre Cálice Marcos

A atitude de Jesus diante da morte não é de completa indiferença, mas ela lhe perturbava. É veredade que Jesus morreu em completa liberdade e encarou a morte como um dom e oferta de si mesmo, mas ao mesmo tempo a sua angústia e medo parecem serem profundos. Os evangelhos sinóticos sublinham isso e também o evangelho de João diz: “Minha alma está agora conturbada. Que direi? Pai, salva-me desta hora? Mas foi precisamente para esta ora que eu vim.” (João 12,27). Lemos ainda em Hebreus 5,7-8: “É ele que, nos dias da sua vida terrestre, apresentou pedidos e súplicas, com veemente clamor e lágrimas, àquele que o podia salvar da morte; e foi atendido por causa da sua submissão”.

Agora consideremos de perto a passagem a qual você se refere, tomando o Evangelho de Marcos (14,33-25). O evangelista introduz assim a oração de Jesus: Começou a apavorar-se e a angustiar-se. E depois continua: “Minha alma está triste até a morte”. Depois a oração segue por duas estrada, uma indireta, do narrador ( caiu por terra, e orava para que, se posssível, passasse dele essa hora) e outra direta, de Jesus (”Abba! Tudo è possível para ti; afasta de mim este cálice; porém, não o que eu quero, mas o que tu queres”)

Observando as duas formas de descrição da oração, aquela do evangelista e aquela colocada na boca do próprio Cristo, vemos claramente que “cálice” está em relação à “hora”.

Falando de sentido teológico da oração no Gêtsemani, precisamos lembrar a angústia típica dos profetas, que não é somente um sentimento psicológico, mas exprime uma agonia, como se fosse uma luta entre o profeta e Deus: o profeta gostaria de desistir da sua missão, mas Deus quer que ele prossiga. O profeta é dominado pela angústia e não tem coragem. Portanto a angústia está diretamente ligada com a missão profética. Também Jesus se depara com a falta de sucesso de sua pregação. O convite contínuo à conversão, a “orar e vigiar” (também aos apóstolos) se revela utópico e não se concretiza, mesmo se não devemos reduzir a causa da angústia de Cristo à falta de sucesso e ao desconforto humano. Então se deve a quê? Ele tem medo da morte? Provavelmente não é isso, pois foi ao encontro da morte voluntariamente, como dom extremo de si mesmo. Ele não sofre por si mesmo, mas pelos homens, pelo povo que quer salvar. Portanto a angústia è sinal da caridade infinita de Deus para com o ser humano.

O que nos perturba nesta passagem é o fato que parece que Jesus queira “afastar” de si a morte. Porém poderíamos ler em outra perspectiva. As palavras de Jesus não visam escapar da sua missão, mas é um pedido para atrasar aquilo que deve acontecer, o cálice, a hora da paixão, para prolongar a missão e salvar o povo da sua falta de fé.

4213 visitas

6 comentários

Postar um comentário

  • Erivaldo (Salvador) - 01/12/2013

    Continua estudando, mas nao demore muito nao, a zorra pode vir a qualquer hora, eu prefiro ficar com o MANDAMENTO E OBRA DO SALVADOR

  • Paulo (Brasilia-Brasil) - 01/12/2013

    Cálice, nessa passagem, se refere à ira de Deus. Jesus não tinha medo da morte numa cruz romana, mas da ira de Deus que seria depositada sobre nele. Estou estudando, e até o presente entendo assim.

  • pedro santos da silva (Maracás-Ba) - 13/09/2011

    Me ponho a imaginar, o imenso amor que JESUS tem por nós.Agonia que ele sentia naquele momento era ao saber que estava chegando a hora, e não lhe restava mais tempo para que pudesse salvar ao homesns de pouca fé.Mas DEUS naquele momento o cocedeu a sua oração, para que ele não sofresse mais com aquela angústia. Me doi muito ao saber que seu amor por nós era incondicional, e como somos ingratos como nosso SENHOR JESUS. QUE JESUS TENHA MISERICÓRDIA NÓS!

  • levita-yerudiktus (Rio de Janeiro) - 24/03/2010

    Olá, Pense em alguém, que está prestes a ser condenado a (morte) por um crime que não cometeu, E terás o diagrama da afrição de Nosso Amado MESTRE E SENHOR.Este era o cálice que seria derramado...)Sua súprica expressa a agonia ANTROPOMÓRFICA que se avizinhava.)Trocando em miúdos seria como dizer que O Super Ser teria que atravessar A IMORTALIDADE a fim de (conseguir)morrer.Este foi o princípio da MAIOR AGONIA DE TODA HISTORIA....) Um Ser Imortal trabalha a fim de conseguir morrer(que sofrimento terrível)A PAI ...

  • Thibô. (Nova Iguaçu/RJ) - 16/09/2009

    Ora, tanto o dizimo quanto a circuncisão e o batismo nas aguas, são aspectos vindo dos povos pagãos, Deus os introduziu a Israel para srem guardados com fidelidade, e bem sabemos que os cativeiros de Israel foram usados por Deus também como capacitação profissional dos edificadores, assim como Jesus foi conduzido ao berço cultural das Civilizaçoes Antigas: Egito; o calice é referência a notoruia morte de Socrates, fato esse tratado largamente nos anfiteatros e peças ao ar livre junto a liberdade de expressão artis...

  • Thibô. (Nova Iguaçu/RJ) - 16/09/2009

    Ora, tanto o dizimo quanto a circuncisão e o batismo nas aguas, são aspectos vindo dos povos pagãos, Deus os introduziu a Israel para srem guardados com fidelidade, e bem sabemos que os cativeiros de Israel foram usados por Deus também como capacitação profissional dos edificadores, assim como Jesus foi conduzido ao berço cultural das Civilizaçoes Antigas: Egito; o calice é referência a notoruia morte de Socrates, fato esse tratado largamente nos anfiteatros e peças ao ar livre junto a liberdade de expressão artis...