Uma janela sobre o mundo bíblico

Quem é o discípulo amado, a quem Jesus se refere em João 19,25?



  • Pergunta de Anisio Garcia Filho, Rio de Janeiro
  • 66222
  • 16/10/2007
Ombretta Pisano

Leia mais sobre João | João


Nos últimos capítulos do Evangelho de João temos a presença de um personagem que não tem um nome específico, mas é chamado “o discípulo amodo de Jesus”. Este personagem aparece nos momentos cruciais nos quais se realiza a ‘hora’ de Jesus, isto é, os acontecimentos ligados à sua paixão e à sua passagem deste mundo ao Pai. Por isso o encontramos em 13,23-25, durante a última ceia, quando deita a cabeça sobre o peito de Jesus e lhe pergunta quem é o discípulo que deve traí-lo. Em João 19,26-27 ele se encontra ao lado de Maria, embaixo da cruz, e Jesus lhe entrega a sua mae. EM João 20,2-10 o discípulo amado se encontra com Pedro, quando Maria Madalena comunica que Jesus não está no sepulcro. Junto com Pedro corre para o sepulcro, chega primeiro, mas fica fora e só entra depois. Dele se diz que “viu e acreditou”.
Em João 21,7, quando Jesus ressuscitado aparece junto ao lago de Tiberiases enquanto os discípulos pescam, é ele que sugere a Pedro que se trata do Senhor. Em 21,20-23 segue Jesus e Pedro e sobre ele o Senhor diz que ficará até que Ele voltará.
Em 21,24 se diz que o discípulo amado é o discípulo que testemunhou os acontecimentos e que os escreveu. O seu testemunho era veradeiro porque estava fisicamente presente, também embaixo da cruz e no seculcro, quando viu e acreditou.

A tradição eclesial, a partir do II século, julga que o “discípulo amado” é o autor do quarto evangelho, identificado como João, apóstolo, filho de Zebedeu.
Os estudiosos procuraram verificar se a tradição tem razão e fizeram isso tentando identificar a identidade do personagem através da análise histórico-crítica. O resultado foi a aparição de diversas hipóteses.
Alguns, por exemplo, julgam que se trata de um artifício literário, ou seja, um símbolo do discípulo perfeito ou de um discípolo de carácter profético que acompanha o papel institucional de Pedro.
Talvez exista uma função simbólica, mas em 21,20-23 se fala da morte deste personagem. Isso significa que devia ser uma pessoa concreta, próximo a Pedro e Maria. Porém de quem se trata? A proximidade com Pedro e Maria corresponde ao retrato de João, apóstolo, conforme descrito pelos outros evangelistas.
Outros sugerem que seja Lázaro, irmão de Marta e Maria, ou João Marcos, autor do evangelho segundo Marcos, ou Matias e ainda outros.

Com certeza podemos afirmar que é uma figura importante na comunidade joanina, apresentada no Evangelho com características que sugerem que seja um modelo de discípulo e de fe, que não tem medo das provas (como teve Pedro) e ao qual está reservada a promessa da glória de Jesus, quando ele voltará.
O fato que o “discípulo amado” vai ‘ficar’ (21,20-23), signifinica que não morre, mas pode, por exemplo, querer dizer que ‘fica’ na comunidade, que, graças ao seu testemunho, gerou.

Portanto podemos hipotizar que este discíulo ideal, importante como Pedro, seja um personagem que fundou a comunidade joanina, que foi identificado com o apóstolo João.

Além disso, o discípulo amado é citado para que aquele que escuta e lê o IV Evangelho se considere um verdadeiro discípulo, gerado a partir do testemunho de alguém que viu com os próprios olhos o ministério de Jesus.

66222 visitas



Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook