Mais de 800 pßginas do Cˇdigo Sinaitico (Codex Sinaiticus), o mais antigo exemplar da BÝblia, escrita em grego antigo e existe ainda hoje (juntamente com o Codex Vaticano), estŃo disponÝveis online em codexsinaiticus.org: fruto do esforšo de um grupo de trabalho formados por cientistas inglŕses, russos, alemŃes e egÝpcios. As 800 pßginas da Sagrada Escritura estŃo em alta resolušŃo, e vocŕ pode navegar pelos livros (antigo ou novo testamento, e assim por diante), capÝtulos e versÝculos. Em seguida, cada versÝculo tem um zoom que permite visualizar os pequenos detalhes, inclusive atravÚs da variašŃo do brilho da pßgina, para melhor compreender os detalhes. Nestas primeiras horas, por causa do boom de acessos, o site estß tendo algumas dificuldades.

Hß muitos anos, a Biblioteca BritÔnica de Londres estß trabalhando para digitalizar os manuscritos e a partir de 2005 se comprometeu a passar as pßginas do Cˇgigo para a internet, em cooperašŃo com o Mosteiro de Santa Catarina no Sinai, Egito, a Biblioteca Nacional da R˙ssia e a Biblioteca Universitßria de Leipzig , na Alemanha. AtravÚs dos esforšos conjuntos (cada uma das bibliotecas tem um pedašo do manuscrito, sendo que o maior estß em Londres) no ano passado foram digitalizados e disponibilizados on-line as primeiras 100 pßginas do Cˇdigo. Mas agora todos os 800 pßginas - das cerca de 1.400 que compunham o livro original - que ainda existem estŃo na rede.

O texto original, de 1600 anos atrßs, Ú considerado pelos estudiosos o texto sagrado mais completo e antigo existente ainda hoje. Contudo, apenas o Novo Testamento estß completo. A histˇria de sua descoberta estß intimamente ligado Ós instituiš§es que, hoje, estŃo trabalhando no projeto de digitalizašŃo: descoberto no Mosteiro de Santa Catarina por um teˇlogo alemŃo na metade do sÚculo XIX, foi levada, em parte, para Alemanha, em Leipzig, onde o teˇlogo morava, e, em parte, para R˙ssia, pois foi o Czar Alexander II que financiou o trabalho do teˇlogo alemŃo. Em seguida, por volta de 1930, a R˙ssia vendeu a sua parte do cˇdigo para a GrŃ-Bretanha, e Ú por isso que hoje Ú a Biblioteca Nacional BritÔnica que preserva o maior n˙mero de pßginas.