A OrganizašŃo das Naš§es Unidas para a EducašŃo, a Ciŕncia ea Cultura (UNESCO) aprovou recentemente oficialmente a declarašŃo que considera o T˙mulo de Raquel como uma mesquita. Um pouco antes, a diretora da UNESCO, Irena Bokova, tinha manifestado preocupašŃo com a decisŃo de Israel de considerar o t˙mulo como um patrim˘nio de Israel.

A votašŃo era para que Israel tirasse da lista do patrim˘nio nacional os t˙mulos dos patriarcas em HebrŃo e o t˙mulo de Raquel, em BelÚm.

A Autoridade Palestina afirmou que T˙mulo de Raquel Ú sagrado para os mušulmanos como o local de uma mesquita chamada Bin Bilal Rabah Mesquita. A Autoridade Palestina reclama o controle sobre ambos os monumentos, assim como sobre o Monte do Templo, em JerusalÚm.

O t˙mulo de Raquel estß localizado dentro dos limites da cidade de BelÚm, mas permaneceu sob controle israelense, quando o resto de BelÚm foi transferido para o controle da Autoridade Palestina.

A decisŃo da UNESCO tambÚm pede que Israel deixe os palestinos verificar a Porta de Mughrabi, perto do Muro das Lementaš§es, pois os lÝderes mušulmanods acusam Israel de danificar uma das mesquitas do Monte do Templo, a Al-Aksa, sob o pretexto de reparos no portŃo. Por outro lado, as autoridades israelenses dizem que se o portŃo nŃo for reparado, ele pode representar um perigo para os fiÚis no Muro das Lamentaš§es.