Uma janela sobre o mundo bíblico

João


João 3



  1. Ora, havia entre os fariseus um homem chamado Nicodemos, um dos principais dos judeus.
  2. Depois disso abriu Jó a sua boca, e amaldiçoou o seu dia.
  3. Este foi ter com Jesus, de noite, e disse-lhe: Rabi, sabemos que és Mestre, vindo de Deus; pois ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com ele.
  4. E Jó falou, dizendo:
  5. Respondeu-lhe Jesus: Em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.
  6. Pereça o dia em que nasci, e a noite que se disse: Foi concebido um homem!
  7. Perguntou-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? porventura pode tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer?
  8. Converta-se aquele dia em trevas; e Deus, lá de cima, não tenha cuidado dele, nem resplandeça sobre ele a luz.
  9. Jesus respondeu: Em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus.
  10. Reclamem-no para si as trevas e a sombra da morte; habitem sobre ele nuvens; espante-o tudo o que escurece o dia.
  11. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito.
  12. Quanto àquela noite, dela se apodere a escuridão; e não se regozije ela entre os dias do ano; e não entre no número dos meses.
  13. Não te admires de eu te haver dito: Necessário vos é nascer de novo.
  14. Ah! que estéril seja aquela noite, e nela não entre voz de regozijo.
  15. O vento sopra onde quer, e ouves a sua voz; mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito.
  16. Amaldiçoem-na aqueles que amaldiçoam os dias, que são peritos em suscitar o leviatã.
  17. Perguntou-lhe Nicodemos: Como pode ser isto?
  18. As estrelas da alva se lhe escureçam; espere ela em vão a luz, e não veja as pálpebras da manhã;
  19. Respondeu-lhe Jesus: Tu és mestre em Israel, e não entendes estas coisas?
  20. porquanto não fechou as portas do ventre de minha mãe, nem escondeu dos meus olhos a aflição.
  21. Em verdade, em verdade te digo que nós dizemos o que sabemos e testemunhamos o que temos visto; e não aceitais o nosso testemunho!
  22. Por que não morri ao nascer? por que não expirei ao vir à luz?
  23. Se vos falei de coisas terrestres, e não credes, como crereis, se vos falar das celestiais?
  24. Por que me receberam os joelhos? e por que os seios, para que eu mamasse?
  25. Ora, ninguém subiu ao céu, senão o que desceu do céu, o Filho do homem.
  26. Pois agora eu estaria deitado e quieto; teria dormido e estaria em repouso,
  27. E como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado;
  28. com os reis e conselheiros da terra, que reedificavam ruínas para si,
  29. para que todo aquele que nele crê tenha a vida eterna.
  30. ou com os príncipes que tinham ouro, que enchiam as suas casas de prata;
  31. Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
  32. ou, como aborto oculto, eu não teria existido, como as crianças que nunca viram a luz.
  33. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.
  34. Ali os ímpios cessam de perturbar; e ali repousam os cansados.
  35. Quem crê nele não é julgado; mas quem não crê, já está julgado; porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.
  36. Ali os presos descansam juntos, e não ouvem a voz do exator.
  37. E o julgamento é este: A luz veio ao mundo, e os homens amaram antes as trevas que a luz, porque as suas obras eram más.
  38. O pequeno e o grande ali estão e o servo está livre de seu senhor.
  39. Porque todo aquele que faz o mal aborrece a luz, e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas.
  40. Por que se concede luz ao aflito, e vida aos amargurados de alma;
  41. Mas quem pratica a verdade vem para a luz, a fim de que seja manifesto que as suas obras são feitas em Deus.
  42. que anelam pela morte sem que ela venha, e cavam em procura dela mais do que de tesouros escondidos;
  43. Depois disto foi Jesus com seus discípulos para a terra da Judéia, onde se demorou com eles e batizava.
  44. que muito se regozijam e exultam, quando acham a sepultura?
  45. Ora, João também estava batizando em Enom, perto de Salim, porque havia ali muitas águas; e o povo ia e se batizava.
  46. Sim, por que se concede luz ao homem cujo caminho está escondido, e a quem Deus cercou de todos os lados?
  47. Pois João ainda não fora lançado no cárcere.
  48. Pois em lugar de meu pão vem o meu suspiro, e os meus gemidos se derramam como água.
  49. Surgiu então uma contenda entre os discípulos de João e um judeu acerca da purificação.
  50. Porque aquilo que temo me sobrevém, e o que receio me acontece.
  51. E foram ter com João e disseram-lhe: Rabi, aquele que estava contigo além do Jordão, do qual tens dado testemunho, eis que está batizando, e todos vão ter com ele.
  52. Não tenho repouso, nem sossego, nem descanso; mas vem a perturbação.
  53. Respondeu João: O homem não pode receber coisa alguma, se não lhe for dada do céu.
  54. Vós mesmos me sois testemunhas de que eu disse: Não sou o Cristo, mas sou enviado adiante dele.
  55. Aquele que tem a noiva é o noivo; mas o amigo do noivo, que está presente e o ouve, regozija-se muito com a voz do noivo. Assim, pois, este meu gozo está completo.
  56. É necessário que ele cresça e que eu diminua.
  57. Aquele que vem de cima é sobre todos; aquele que vem da terra é da terra, e fala da terra. Aquele que vem do céu é sobre todos.
  58. Aquilo que ele tem visto e ouvido, isso testifica; e ninguém aceita o seu testemunho.
  59. Mas o que aceitar o seu testemunho, esse confirma que Deus é verdadeiro.
  60. Pois aquele que Deus enviou fala as palavras de Deus; porque Deus não dá o Espírito por medida.
  61. O Pai ama ao Filho, e todas as coisas entregou nas suas mãos.
  62. Quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, porém, desobedece ao Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus.

João