O per√≠odo entre os anos 200 e 700 depois de Cristo √© chamado pelos especialistas de cr√≠tica textual do Antigo Testamento (texto em hebraico) como ‚??√©poca silenciosa‚??, pois s√£o poucos os manuscritos que transmitem o texto hebraico. Inv√©s agora apareceu um manuscrito, que se julga ser do s√©timo s√©culo depois de Cristo, proveniente provavelmente da Gheniza do Cairo, onde, na Sinagoga Ben Ezra, no final do s√©culo XIX, foi descoberto um dep√≥sito de manuscritos hebraicos. O manuscrito cont√©m √?xodo 13,9 ‚?? 16,1. At√© os anos 1970 o manuscrito em quest√£o fazia parte da cole√ß√£o de Fuad Ashkar, um americano de origem liban√™s. Fuad n√£o se deu conta da import√Ęncia do manuscrito at√© quando contatou James Charlesworth da Universidade de Duke. Foi feito a an√°lise com o carb√īnio, que comprovou a sua import√Ęncia e o manuscrito passou a ser conservado na universidade de Duke.
Em 2004 o professor Charlesworth falou sobre o manuscrito com Adolfo Roitman, diretor do Museu do Livro, no Museu de Israel, e atualmente o manuscrito foi emprestado a este museu onde est√° exposto ao p√ļblico.
O longo per√≠odo sem manuscrito em hebraico normalmente √© explicado considerando os problemas enfrentados pelo povo judeu, sobretudo a persegui√ß√£o e a conseq√ľente destrui√ß√£o dos seus livros.