Olá Edilson Francisco de Tianguá - CE

De fato na primeira leitura de um texto bíblico do Novo Testamento que fala de fariseus, de mestres da lei e escribas, surgem dúvidas a respeito da função que tinha os fariseus dentro do judaísmo e os escribas.

Ambos estão ligados intrinsicamente com a lei, seja no escrever, seja no interpretar.

Os Fariseus (do hebraico פר?ש?ם) pertenciam ao grupo de judeus devotos a Torá (5 primeiros livros da bíblia), surgidos no século II a.C. Conheciam em profundidade lei judaica e se consideram os anunciadores e explicitadores da lei judaica. Depois da destruição do templo foram eles que passaram a conduzir as sinagogas judaicas Eram opositores ao grupo de judeus chamados de saduceus, criam uma Lei Oral, em conjunto com a Lei escrita, e foram os criadores da instituição da sinagoga.

Se diferencia dos escribas porque se originam do grupo do Hassedim “religiosos”, recusam o engajamento político e pensam em obter a salvação do povo e do pais por sua piedade.

Os escribas eram Homens eruditos de letras, aos quais pertenciam o estudo profissional da lei de Moisés. Criaram a chamada TRADIÇÃO DOS ANCIÃOS (Mateus 15,2-9) e eram chamados também de doutores da lei (Lucas 5,17).