Est sendo realizada uma grande obra de restaurao dos textos de Qumran. A primeira fase, analtica, foi concluda. Agora se est estudando que procedimentos realizar, visto que toda interveno de conservao e restaurao dos preciosos manuscritos segue um procedimento muito cuidadoso, definido h 20 anos por um grupo internacional. O problema que depois de 20 anos apareceram novos problemas, como por exemplo, alguns pensam que pode ser que a tinta usada nos manuscritos esteja estragando o material sobre o qual foram escritos os textos. Por isso o procedimento decidido h vrios anos deve ser mudado.

Encontrados entre os anos 1947 e 1956 em 11 grutas, na zona de Qumran, s margens norte do Mar Morto, os manuscritos contm mais de 900 textos em hebraico e tambm em aramaico e grego, que foram escritos entre o sculo III antes de Cristo e o Sculo I depois de Cristo. Entre esses textos esto os textos mais antigos existentes do Antigo Testamento, pedaos de todos os livros da Bblia Hebraica, exceto Ester. Alm dos textos bblicos h numerosos textos no cannicos, no bblicos.

Os manuscritos no representam somente uma importante meta cultural e religiosa, mas tambm cientfica, visto os problemas relacionados com a sua conservao. Exceto alguns textos bem conservados, a maior parte deste patrimnio formada por 15 mil fragmentos de pergaminho e papiro, com diferentes estgios de decomposio. O clima seco da regio do deserto da Judia ajudou a conserv-los, mas a partir do momento que foram tirados das grutas, os materiais se estragaram, s vezes, em modo irreversvel, seja pela umidade e temperatura, seja pela exposio luz e pela manipulao errada.

Os primeiros que manipularam os textos foram os estudiosos. O objetivo daquele tempo era decifrar a escritura. Por isso no tiveram escrpulos e usaram, por exemplo, fita adesiva para unir os diferentes fragmentos. Alm disso, umedeciam os rtulos e os colocavam sob vidros. Foi isso que provocou os maiores danos ao material.

Em 1991 os responsveis de Israel colocaram todo o material num local climatizado, que reproduz as condies ambientais das grutas em que foram encontrados e chiara tambm um laboratrio especial para a sua conservao. Um dos responsveis comenta o trabalho feito: Abrimos centenas de lastras, extraindo, quando era possvel, os fragment0s. Depois cobrimos o lado com o texto com papel japons e trabalhamos o lado avesso. Os restos de adesivos desintegram os pergaminhos. Por isso precisamos remov-los, usando solventes. No fim da limpeza, revestimos as bordas e enchemos lacunas, para, em seguida, colocar os fragmentos sob recipientes compatveis, como o papelo no cido. Cada fragmento pede um procedimento diferente e por isso, as operaes so lentas e caras. O processo de envelhecimento no pode ser evitado. Em alguns casos o material to mal conservado que no se consegue mais individuar os caracteres da escritura.

Desde a descoberta, somente os estudiosos tiveram acesso aos manuscritos. Contudo, em 2001, a editora da Universidade de Oxford terminou a publicao da Discoveries in the Judean Desert, que rene todos os textos. Esse trabalho foi realizado graas colaborao de 88 expertos judeus, cristos e muulmanos. A obra, composta de 39 volumes, permitiu a difuso e o acesso aos textos. Existe, porm, um projeto mais ambicioso, ou seja, a digitalizao e a difuso via internet. Isso vai permitir que todos tenham acesso aos textos, acompanhados de transcrio, traduo e interpretao

O projeto comeou a ser realizado em agosto de 2008, com a colaborao de Gregory Bearman, ex cientista da Nasa. O processamento dos dados coordenado por Simon Tanner do Kings College de Londres. J foram tiradas 4 mil fotos, utilizando uma camra digital com 39 megapixel, que garante a excelente resoluo das fotos. Em alguns casos so utilizadas tambm cmeras com infra-vermelho e outra multi-espectral, que mostra a tinta, revelando detalhes invisveis a olho nu.

A perspectiva que o projeto seja concludo em 5 anos e vai custar 5 milhes de dlares.