Uma janela sobre o mundo bíblico

O que significa a palavra corbã?



  • Pergunta de Enor, Corguinho-MS
  • 34748
  • 15/07/2010
Luiz da Rosa

Corbã (a transliteração do hebraico é “Qorban”) é uma palavra hebraica que sifnifica “Sacrifício”, “oferta”, “oblação”. Literalmente, descreve aquilo que é levado para junto do altar (do verbo qarab).

Trata-se de uma palavra bíblica comum sobretudo nos livros do Levítico e Números. Veja, por exemplo, Levíticos 1,2; 2,1.4.12.13; 6,13; 7,14; Números 7 (aparece 12 vezes!). Nossas traduções normalmente usam a palavra “oferta” para verter este vocábulo hebraico.

É nesse contexto que deve ser lido o texto de Marcos 7, onde aparece no texto grego a palavra hebraica, que normalmente os tradutores não vertem para as línguas modernas (versículo 11). A Bíblia de Jerusalém usa o termo “corban”, enquanto que a Almeida traz “Corbã”. A transliteração correta seria “Qorban”. Veja o paralelo em Mateus 15, onde não é usada essa palavra.

O texto de Marcos diz:
Os fariseus e os doutores da Lei perguntaram então a Jesus: «Por que os teus discípulos não seguem a tradição dos antigos, pois comem pão sem lavar as mãos?» 6 Jesus respondeu: «Isaías profetizou bem sobre vocês, hipócritas, como está escrito: ‘Este povo me honra com os lábios, mas o coração deles está longe de mim. 7 Não adianta nada eles me prestarem culto, porque ensinam preceitos humanos’. 8 Vocês abandonam o mandamento de Deus para seguir a tradição dos homens.»
9 E Jesus acrescentou: «Vocês são bastante espertos para deixar de lado o mandamento de Deus a fim de guardar as tradições de vocês. 10 Com efeito, Moisés ordenou: ‘Honre seu pai e sua mãe’. E ainda: ‘Quem amaldiçoa o pai ou a mãe, deve morrer’. 11 Mas vocês ensinam que é lícito a alguém dizer a seu pai e à sua mãe: ‘O sustento que vocês poderiam receber de mim é Corbã, isto é, consagrado a Deus’. 12 E essa pessoa fica dispensada de ajudar seu pai ou sua mãe. 13 Assim vocês esvaziam a Palavra de Deus com a tradição que vocês transmitem. E vocês fazem muitas outras coisas como essas.»
(Tradução da Edição Pastoral).

A discussão entre Jesus e os fariseus é sobre o valor da tradição. Jesus lembra o profeta Isaías, sobre a hipocresia de alguns gestos litúrgicos, que escondem uma vida longe dos preceitos divinos. Então lembra o preceito de acudir os pais e como alguns se desculpam dizendo que invés de ajudá-los tem que dar “ofertas” (qorban) para o templo, para os sacerdotes.

O ensinamento de Cristo explica em que consiste a prática religiosa, que em vários setores religiosos do seu tempo se limitava a gestos formais. Para alguns estava em primeiro lugar o sacrifício, a oferta ao Templo e só em seguida vinha a caridade para com o próximo (com os próprios pais, neste texto). Esse tema aparece também em outras passagens bíblicas, como na Parábola do Bom Samaritano.

34748 visitas



Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook