A narração que você cita é conhecida como “o endemoninhado geraseno”. O episódio, supostamente acontecido na cidade de Gerasa, é contado pelos evangelhos sinóticos (Mateus 8,28-24, Marcos 5,1-20; Lucas 8,26-39). Mateus diz que eram dois endemoninhados (como também diz que eram 2 os cegos de Jericó e os de Betsaida).

Expulsada por Jesus, a legião de demônios entrou numa manada de porcos. A escolha desse animal não é casual no conto evangélico. Outro elemento que ajuda a entender melhor esse detalhe é o fato que os discípulos, com Jesus, navegaram, de barco, “à outra magem do lago”. Isso quer dizer: foram para uma terra estrangeira. De fato, os porcos são considerados, segundo a lei do Deuteronômio, animais impuros e não existem em Israel, pois os judeus não podem comer a sua carne. Portanto o porco como personagem da história é muito importante. Para nós, leitores modernos, não diz muito. Mas um leitor contemporâneo dos evangelistas, lendo “porcos” sabia imediatamente que Jesus estava numa terra estrangeira. E também lá Jesus anuncia a sua Boa-Nova. E também lá os demônios o reconhecem.