Uma janela sobre o mundo bíblico

Fui casada durante 15 anos e não deu certo. Não nos amamos mais. Conheci outra pessoa, que também é separada. Será que um dia vou poder me casar novamente e mesmo assim obter minha salvação?



  • Pergunta de Jacira, Belford Roxo
  • 5587
  • 04/01/2010
Luiz da Rosa

Leia mais sobre Casamento |


Prezada Jacira, segundo a Bíblia o casamento é indissolúvel. E isso provavelmente você sabe. De fato a mensagem de Cristo é muito clara, sobretudo se lemos Mateus 19,3-9. A posição clara de Cristo é causada por disputas existentes no tempo em que Ele viveu. De fato existiam alguns judeus que retiam que o homem podia deixar a própria mulher e casar-se novamente (“É lícito repudiar a própria mulher por qualquer motivo?” – Mateus 19,3). Jesus, invés, tomou posição, cunhada na célebre frase: “o que Deus uniu o homem não separe” (Mateus 19,6). Portanto, Jacira, a mensagem do Novo Testamento é clara: o matrimônio é indissolúvel e dura toda a vida.

Hoje as normas variam muito de confissão a confissão. Na Inglaterra o anglicanismo, por exemplo, nasceu, separando-se da igreja católica, por causa da possibilidade do divórcio. Entre eles, de fato, o divórcio é possível. Na igreja católica não existe a possibilidade de separar-se e voltar a casar. A única possibilidade é aquela do matrimônio ser considerado nulo, inexistente, pois realizado com algum impedimento. Mas mesmo nesse caso nunca é possível casar-se com outra pessoa separada; todos os dois devem ser solteiros ou viúvos. Cada igreja tem uma própria regra, que não conheço perfeitamente.

Além desses esclarecimentos existe obviamente a questão humana. Entramos, portanto, num âmbito muito pessoal, isto é, de opinião pessoal e, por isso, julgue de modo crítico essas palavras. Pessoalmente não creio que duas pessoas que se odeiam devam viver o resto da vida juntas somente para “ganhar” a salvação. Ser feliz é uma meta que coincide com a salvação. É verdade que a dor pode fazer parte do processo de salvação, mas a salvação em si não está na dor, no sofrimento. Então, num casamento, onde há crise, precisa haver muita vontade de superá-la, muita conversa e paciência. Contudo, se todas as vias foram trilhadas e não tem saída, a coisa melhor é separar e cada um seguir a sua estrada.

No conselho dato acima não há nada de errado. Até mesmo os padres católicos dão essas indicações. De fato uma pessoa pode viver canonicamente bem como solteiro. O problema nasce quando a pessoa que deixou o próprio marido ou esposa tenta um novo casamento. É nesse caso que vem o julgamento negativo. De fato, na igreja católica, alguém separada e novamente casado não pode participar dos sacramentos, não pode, por exemplo, comungar.

Jacira, infelizmente a situação que você propõe não é ideal e por essa razão, creio que de modo correto, não é pregada pelas igrejas, pois todos sabemos e concordamos que uma família destruída não é uma situação ideal. Contudo, apesar disso, penso que ninguém deve ser excluído da busca da própria felicidade, sempre procurando não causar o mal a outros. A ‘ruptura’ com a igreja não significa que você ‘já está condenada’. Deus tem critérios muito diversos dos nossos. Temos que sermos bastante maduros na fé e confiar com coragem na misericórdia divina.

5587 visitas



Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook