Quais foram as cartas que Paulo escreveu quando estava preso?

Pergunta de Gabriele Cristina Da Silva, Almirante Tamandaré
Resposta de Odalberto Domingos Casonatto, em 07/12/2012


Leia mais sobre Cartas paulinas

Olá Gabriele Cristina Da Silva, Almirante Tamandaré!
Esta pergunta vem complementar a pergunta que fizestes anteriormente, “Como são divididas as Cartas de Paulo?”, de fato encontramos autores que na classificação das cartas paulinas colocam como cartas do cativeiro. A realidade é está Paulo escreveu estas cartas enquanto era prisioneiro: Estas são as cartas:

1 - Filêmon
2 - Filipenses
3 - Colossenses
4 - Efésios:

Praticamente a pergunta estaria respondida, mas vamos uma pouco mais na compreensão de cada uma delas.

Carta a Filêmon: A história da descrição desta carta, é muito simples. Foi uma carta de Paulo enviada ao cristão Filêmon. Nesta carta Paulo apela pela sua amizade e pede para que Filêmon receba a Onésimo, escravo fugitivo, por isso prisioneiro e refugiado em Roma. Paulo o conheceu na prisão, Onésimo converteu-se e foi batizado por meio de São Paulo. O Apóstolo na sabedoria de sua pregação afirma que agora eles são irmãos e assim devem ser considerados.

Carta aos Filipenses: a comunidade de Filipos era constituída por antigos legionários Romanos que deixavam o serviço militar e passavam a trabalhar e viver com suas famílias. São Paulo os considerava seus queridos filhos, com uma fidelidade inquebrantável e generosa correspondência. Podemos dizer que os Filipenses eram seus amigos. Na carta encontramos um ponto doutrinal muito importante é o hino cristológico (Fil 2,6-11) que canta a humilhação de Cristo na sua encarnação, vida morte e sua gloriosa ressurreição. Belíssima carta um elogia a amizade.

Carta aos Colossenses: essa comunidade apresenta as primeiras dificuldades doutrinais, podemos dizer eram questões cristológicas, pois alguns pregavam que Cristo era um ser intermédio entre Deus e a matéria, nada mais, descartando a excelência da filiação divina. São Paulo aprofunda temas capitais sobre Cristo. Podemos dizer nasce aqui de problemas pastorais, respostas cristológicas. É uma Cristologia que evolui. Ele é superior a todos os seres, a todos os anjos. Por isso afirma: “em Cristo habita toda a plenitude da divindade corporalmente” (Col 2,9). Jesus Cristo é, pois Deus eterno, que ao tomar a natureza humana não deixa de ser Deus e, portanto, é o primeiro e superior a todos. No final da carta a parte pareneutica se atem a problemas e dificuldades morais que enfrentam.

Carta aos Efésios: Paulo retoma as questões levantadas na carta aos Colossenses e trata com mais seriedade, e profundidade. Sua cristologia evolui. Nesta carta se considera como ponto culminante do itinerário doutrinal de São Paulo, no que diz respeito ao mistério de Cristo, da obra da Redenção e da Teologia da Igreja. Paulo mostra aos cristãos de Efeso que Cristo Jesus é a cabeça de todos os seres, tanto celestes quanto terrestres. Ele é o Salvador de toda a criatura . Paulo em Ef 1,3-14 descreve um grande hino que louva o plano salvador de Deus por meio de Cristo em favor de toda a humanidade. Demonstra nesta carta que a Igreja na sua unidade e totalidade são inseparáveis, e coloca como instrumento da salvação a Cristo que criou como Seu Corpo, aplicando à humanidade a salvação que Ele concretizou com sua morte e ressurreição. Assim todo o batizado em Cristo Jesus vive a unidade na caridade, pois toma parte do corpo de Cristo, animado pelo mesmo Espírito.

4425 visitas

1 comentário

Postar um comentário

  • Edmilson T Vasconcelos (Londrina) - 16/10/2014

    Olá! Sobre as cartas que Paulo escreveu quando estava na prisão. Não faltou a carta a Timóteo?