A Páscoa na Bíblia

Páscoa na Bíblia

Quais foram as cartas que Paulo escreveu quando estava preso?

Pergunta de Gabriele Cristina Da Silva, Almirante Tamandaré
Resposta de Odalberto Domingos Casonatto, em 07/12/2012


Leia mais sobre Cartas paulinas

Olá Gabriele Cristina Da Silva, Almirante Tamandaré!
Esta pergunta vem complementar a pergunta que fizestes anteriormente, “Como são divididas as Cartas de Paulo?”, de fato encontramos autores que na classificação das cartas paulinas colocam como cartas do cativeiro. A realidade é está Paulo escreveu estas cartas enquanto era prisioneiro: Estas são as cartas:

1 - Filêmon
2 - Filipenses
3 - Colossenses
4 - Efésios:

Praticamente a pergunta estaria respondida, mas vamos uma pouco mais na compreensão de cada uma delas.

Carta a Filêmon: A história da descrição desta carta, é muito simples. Foi uma carta de Paulo enviada ao cristão Filêmon. Nesta carta Paulo apela pela sua amizade e pede para que Filêmon receba a Onésimo, escravo fugitivo, por isso prisioneiro e refugiado em Roma. Paulo o conheceu na prisão, Onésimo converteu-se e foi batizado por meio de São Paulo. O Apóstolo na sabedoria de sua pregação afirma que agora eles são irmãos e assim devem ser considerados.

Carta aos Filipenses: a comunidade de Filipos era constituída por antigos legionários Romanos que deixavam o serviço militar e passavam a trabalhar e viver com suas famílias. São Paulo os considerava seus queridos filhos, com uma fidelidade inquebrantável e generosa correspondência. Podemos dizer que os Filipenses eram seus amigos. Na carta encontramos um ponto doutrinal muito importante é o hino cristológico (Fil 2,6-11) que canta a humilhação de Cristo na sua encarnação, vida morte e sua gloriosa ressurreição. Belíssima carta um elogia a amizade.

Carta aos Colossenses: essa comunidade apresenta as primeiras dificuldades doutrinais, podemos dizer eram questões cristológicas, pois alguns pregavam que Cristo era um ser intermédio entre Deus e a matéria, nada mais, descartando a excelência da filiação divina. São Paulo aprofunda temas capitais sobre Cristo. Podemos dizer nasce aqui de problemas pastorais, respostas cristológicas. É uma Cristologia que evolui. Ele é superior a todos os seres, a todos os anjos. Por isso afirma: “em Cristo habita toda a plenitude da divindade corporalmente” (Col 2,9). Jesus Cristo é, pois Deus eterno, que ao tomar a natureza humana não deixa de ser Deus e, portanto, é o primeiro e superior a todos. No final da carta a parte pareneutica se atem a problemas e dificuldades morais que enfrentam.

Carta aos Efésios: Paulo retoma as questões levantadas na carta aos Colossenses e trata com mais seriedade, e profundidade. Sua cristologia evolui. Nesta carta se considera como ponto culminante do itinerário doutrinal de São Paulo, no que diz respeito ao mistério de Cristo, da obra da Redenção e da Teologia da Igreja. Paulo mostra aos cristãos de Efeso que Cristo Jesus é a cabeça de todos os seres, tanto celestes quanto terrestres. Ele é o Salvador de toda a criatura . Paulo em Ef 1,3-14 descreve um grande hino que louva o plano salvador de Deus por meio de Cristo em favor de toda a humanidade. Demonstra nesta carta que a Igreja na sua unidade e totalidade são inseparáveis, e coloca como instrumento da salvação a Cristo que criou como Seu Corpo, aplicando à humanidade a salvação que Ele concretizou com sua morte e ressurreição. Assim todo o batizado em Cristo Jesus vive a unidade na caridade, pois toma parte do corpo de Cristo, animado pelo mesmo Espírito.

1841 visitas

Nenhum comentário

Postar o primeiro comentário