Onde está escrito que João foi condenado a cair em um balde grande com óleo ou azeite quente e não morreu?

Pergunta de Jesais, São Paulo / SP
Resposta de Odalberto Domingos Casonatto, em 13/11/2012


Leia mais sobre João

Olá Jesais de São Paulo / SP! Embora já foi respondida uma pergunta endereçada ao site, com igual teor :Onde eu encontro na Bíblia que João foi jogado dentro de um caldeirão fervendo?” Feita por Carlos, Serra e respoindida por Odalberto, em 09/06/2012. Deixo uma resposta em forma mais resumida podendo ser consultada à pergunta feia anteriormente! A resposta poderá te ajudar a esclarecer.

Nos escritos do Novo Testamento é comum encontramos este tipo de tortura, inclusive sofrida pelo apóstolo Paulo, sendo que ele sempre sai ileso, por proteção divina. Quanto ao apóstolo João, no texto do Novo Testamento, não existe nenhuma passagem com tal referência. Assim se for dar uma resposta com provas bíblica, a resposta é negativa, não se encontra nenhuma passagens com tal referência.

O que dizem as biografias de João?
Por um outro lado vamos encontrar nas narrativas biográficas sobre a pessoa do apóstolo João em varias delas textos com referências que tenham atirado João num caldeirão de azeite fervendo.

Destaco três escritos que tratam do assunto, sabemos que existem outros com igual descrição.

Primeira citação: Baseada na tradição da Igreja.
“A tradição sugere que, durante os últimos anos de sua vida, João esteve encarregado de igrejas na província romana da Ásia Menor, com sede em Éfeso. De acordo com a tradição, João foi lançado em um caldeirão cheio de azeite fervente. Como não morreu, foi enviado à Ilha de Patmos, (Domiciano era imperador Romano) ainda que se acredite que tenha sido liberado quando Nerva se tornou imperador em 96 d.C.” (conforme Semana Santa 2011, Amigos da Esperança, pág. 7)
Fonte: http://www.cms.paulistasul.org.br

Segunda citação:
“O apóstolo João aguentou muitas provas nas províncias romanas. Uma vez o lançaram num caldeirão de azeite fervente, mas o Senhor preservou-lhe a vida. Abandonaram-no na ilha de Patmos, mas não morreu ali. Depois de ser resgatado de Patmos, João foi obrigado a tomar veneno, o qual não lhe fez dano. Morreu pacificamente em Éfeso na idade de mais de oitenta anos”. (conforme Lição 1, A fé de Jesus e dos Apóstolos, pág. 16).
Fonte: http://www.elcristianismoprimitivo.com

Terceira citação:
“O ‘discípulo amado’ era irmão de Tiago, o Maior. As igrejas de Esmirna, Pérgamo, Sardes, Filadélfia, Laodicéia e Tiatira foram fundadas por ele. Enviado de Éfeso a Roma, conta-se que foi jogado num caldeirão de azeite fervente, de onde escapou milagrosamente, sem dano algum. Dominicano exilou-o na ilha de Patmos, onde lhe foi revelado o livro de Apocalipse. Nerva, o sucessor de Dominicano, libertou-o. Dentre todos os apóstolos, foi o único a ter morte natural.” (conforme Livro dos Mártires de John Fox – CPAD, citado em O sofrimento dos apóstolos, na proclamação do evangelho, (07/05/2009).
Fonte: http://blogdomarcosserafim.blogspot.com.br

7436 visitas

1 comentário

Postar um comentário

  • Eduardo Rosa (sorocaba) - 01/04/2014

    Conclusão não temos fatos bíblicos, mais uma tradição da igreja católica.