Siga-nos no FaceBook




Lugares bíblicos

Qual é o personagem da Bíblia que foi colocado numa fornalha e salvo pelos anjos do Senhor?

Pergunta de conceição, vitória - ES
Resposta de Silvia Togneri, em 25/07/2012


Leia mais sobre Daniel

Olá Conceição,

Segundo Dn 3,12 , os personagens são :  Sadraque (Sidrac), Mesaque (Misac)  e  Abede-Nego (Abdênago) que eram judeus e se negaram a adorar e prostrar-se diante da estátua de ouro que o rei Nabudonosor construiu cf.  Dn 3.

 Esses judeus seguem fielmente o que o Senhor ordenou, através de Moisés, a todo o povo de Israel: “Eu sou o Senhor, teu Deus que te tirou da terra do Egito, da casa da servidão. Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem de escultura... Não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu sou o Senhor, teu Deus...” cf. Ex 20, 2-5. A fé deles no verdadeiro Deus e Senhor dos judeus os leva a não efetuarem as práticas idolátricas impostas pelos governantes que os dominavam.

Em Dn 3-4, o rei Nabudonosor é nominado, mas o momento histórico refere-se  à dominação dos reis selêucidas, especialmente Antíoco IV, que implantou à força a religião e a cultura grega,  através de festas gregas e o culto aos deuses gregos, impedindo também as manifestações religiosas judaicas.

1120 visitas

50 comentários

Postar um comentário

  • jacira almeida (são paulo) - 05/07/2013

    Tem gente por aqui que se deixar escreve uma nova bíblia de tão entendido que acha que é. Pelo amor de Deus......

  • DBonfim (Jaguarari) - 14/08/2012

    Seguindo com a interpretação do livro de Dn. Antes, porém, informo a Ad[mar]: considerar a História não se trata de “inventar” história paralela. Ou, o senhor imagina mesmo que o livro de Dn caiu do céu, sem razão nenhuma de ser (sem qualquer sentido para o povo da época a quem foi escrito); que se trata de um texto sem contexto? Como interpretar uma obra ignorando o contexto em que ela surgiu? – Isso é amadorismo, no qual não procuro incorrer. Depois, o tempo da obra (quer seja o sec. II a.C – que é mais provável,...

  • ad (aracruz) - 14/08/2012

    Bom, pra quem teve tempo de escrever este último texto dando desculpa para não declarar sua fé de forma objetiva, penso eu que seria mais importante responder a minha questão, que mais uma vez foi posta de lado para defender seu orgulho ferido. E, se o Sr. já conhece o conteúdo que postei, e pensa que sabe o que eu sei, melhor ainda. Assim não preciso escrever nada. Eu, pelo contrário, não sei o que voce pensa, por isso perguntei, e infelizmente o Sr. não me surpreendeu e está enrolando, como bom católico que acha ...

  • DBonfim (Jaguarari) - 10/08/2012

    “Já que o senhor enrola” – essa é boa. Qualquer o um que ler meu comentário (ainda que discorde dele) sabe que não fugi de nada. Mas, como para o senhor, tudo é muito simples, e explica-se um livro desses em poucas linhas, sem cuidado com a História e contexto, porque em suas tomadas de "lições da bíblia" tudo é pura decoreba e cabe numa folhe de papel A-4, tece comentários que só partem de visões reducionistas e indispostas ao uso da razão. / Leitores, o senhor, Ad[mar], que também é ad[ventista] muito mal educ...

  • ad (aracruz) - 10/08/2012

    Já que Sr. DBonfim enrola vamos ao que interessa: o quarto animal...
    http://jonatanconceicao.blogspot.com.br/search/label/chegou%20a%20hora
    Segue uma referencia para pesquisa. Existem uma outra cabal, mas esta deixarei para o final.

  • ad (aracruz) - 09/08/2012

    exatamente DBonfim...como vc disse, o pecado é algo a mais do que a transgressão do decálogo, e não menos...vou ler seu texto gigante atenciosamente.

  • DBonfim (Jaguarari) - 09/08/2012

    Vamos então iniciar a interpretação das profecias de Dn. Trabalharei pacientemente os conceitos. Começarei por apontar a relação dessas profecias com estruturas políticas, pois esse é o foco da obra de Dn. / Só algo mais: minhas respostas não dependem tanto de referencial, senhor Ademar, dependem de tempo, porque eu trabalho e tenho família para cuidar. Se não havia postado antes é porque interpretar um texto não é simplesmente copiar e colar respostas prontas. / A verdade pode até ofender aos mentirosos, como ...

  • ad (aracruz) - 09/08/2012

    DBonfim, eu acho que o senhor é um covarde e não irá responder ao meu questionamento. Sugiro usar de humildade e responder que não tem outra explicação lógica, pois afastar Daniel de Apocalipse é no mínimo absurdo, em especial as 2300 tardes e manhãs...aguardo retorno.

  • DBonfim (Jaguarari) - 09/08/2012

    Parte dos caros leitores desse espaço que estranham a forma de se interpretar as profecias e os escritos apocalípticos numa perspectiva primeiramente histórico-contextual o fazem porque entendem que aplicá-las à época da produção dos livros seria, no entender deles, desprezo ao futuro ou ao nosso presente. Entretanto, não se dão conta de que a projeção desses textos unicamente para um futuro além da época do texto, é desprezo total ao valor que essas obras tinham para as comunidades a quem primeiramente se destina...

  • ad (aracruz) - 09/08/2012

    DBonfim, Confirmando o que eu disse, ainda estou esperando a resposta...objetiva e clara, como tem sido minhas alegações, diferente dos cansativos textos que não levam ninguém a lugar nenhum. O equilíbrio, não o excesso. A verdade ofende o mentiroso, sabia? Não estou nem um pouco ofendido com nenhuma declaração sua, pelo contrário, apenas vejo que sua suporta sabedoria depende do referencial. E fico feliz em confirmar minhas impressões. Assim como não dá para retirar o sábado dos 10 mandamentos, também não dá pra r...

  • DBonfim (Jaguarari) - 09/08/2012

    Acerca da releitura que Mt 2,15 faz de Os 11,1-2 e que o senhor diz: “Isso não é reinterpretação, isso é profecia cumprida”, afirmo que isso é profecia cumprida à luz do NT, mas em Oséias, não se trata de profecia, se trata de constatação de infidelidade do povo de Israel a Deus. Se o senhor ler o versículo de Oseias isoladamente até poderá sustentar que a intenção do autor fosse externar uma profecia, mas se ler no conjunto esses versos, perceberá que não. Porém, como para nós cristãos, o AT deve ser lido à luz d...

  • Márcio ADV (Serra) - 09/08/2012

    Seja claro amigo. Para você o livro de Daniel é profecia ou apenas um relato dos acontecimentos passados, por exemplo: O texto de Dn 2 e Dn 7 sobre 4 reinos da terra é profecia ou apenas o escritor escreveu após o reinos acontecerem? Porque?

  • Márcio ADV (Serra) - 09/08/2012

    Isso não é reinterpretação, isso é profecia cumprida....A mesma coisa ocorre entre Jr 31:15 e Mt 2:16-18 O profeta usa um acontecimento passado para ilustrar a profeciaEle usa Raquel , esposa de Jacó como ilustração das mães que chorarão por causa da matança causada por Herodes..No caso de Oséias , ele usa o êxodo do povo israelita do Egito como ilustração do êxodo da família de Jesus do mesmo EgitoDeus agiu desta forma, para que o povo de Israel pudesse identificar Jesus como o Salvador..Através de todas as prof...

  • DBonfim (Jaguarari) - 09/08/2012

    “Quando alguém põe em dúvida a historicidade do Livro de Daniel e o situa no 2º século a.C, na verdade só tem um objetivo: As profecias do livro não são profecias , mas apenas relatos de eventos já ocorridos”. / Márcio ADV, não precisa evitar se referir a mim porque divergências, quando expressar educadamente, não me incomodam, nem me aborrecem. Mas, no tocante à datação de Dn, o fato de na Tradução dos LXX constar em seu rol o livro de Dn ser isso óbice à datação de sua REDAÇÂO FINAL no século II a.C., o senho...

  • Márcio ADV (Serra) - 08/08/2012

    A tentativa de desconstrução do texto bíblico é latente em alguns textos aqui, não se percebe uma interpretação alternativa, mas uma desconstrução do entendimento correto.Quando alguém põe em dúvida a historicidade do Livro de Daniel e o situa no 2º século a.C, na verdade só tem um objetivo: As profecias do livro não são profecias , mas apenas relatos de eventos já ocorridos.. Por estas pessoas, que livro teria sido escrito no ano de 165 a.C, dentro dos últimos 3 anos da vida de Antioco Epifânio que morreu em 162 a...

  • DBonfim (Jaguarari) - 08/08/2012

    “Umas das histórias mais conhecidas da maioria adventista é a de Daniel e seus 3 amigos, portanto, poupe meu tempo”. / Saber recontar uma história não é o mesmo que entendê-la; compreender um texto, tecnicamente, não é o mesmo que interpretá-lo. Portanto, esse seu argumento é extremamente desprovido de razoabilidade. / “O senhor não está explicando a uma criança”. / Desculpe-me, mas a forma como o senhor se comporta se parece muito com a de uma criança. / “E mesmo que assim fosse, lembre-se que Jesus ao...

  • Ademar (aracruz) - 08/08/2012

    Estou começando a acreditar que o senhor não tem uma resposta ou um comentário para a questão levantada. Se o senhor ainda não percebeu, o Senhor não está explicando a uma criança, e mesmo que assim fosse, lembre-se que Jesus aos 12 anos já dava um banho de entendimento aos supostos sábios do Templo. Umas das histórias mais conhecidas da maioria adventista é a de Daniel e seus 3 amigos, portanto, poupe meu tempo. O Senhor apenas está retardando inevitável. Aconselho que o senhor se preocupe mais com as implicações...

  • DBonfim (Jaguarari) - 08/08/2012

    Ademar, se o senhor ainda não conseguiu entender sequer a importância da contextualização da obra de Dn, que se dirá da linguagem que ele emprega, a qual está atrelada a essa contextualização que expus? / Quando uma criança adentra no Ensino Fundamental I e é estimulada a ler, por exemplo, uma poesia, dada a sua imaturidade, o máximo que seu professor exige dela é a identificação das rimas, o destaque de palavras estranhas a seu vocabulário, uma explicação emotiva sobre o que a criança pensa ser o significado do...

  • Ademar (aracruz) - 08/08/2012

    Estou esperando algo mais objetivo. Está parecendo o julgamento do Mensalão: Muita fumaça pra pouco fogo. Mas veremos então...espero que tenha um final.

  • DBonfim (Jaguarari) - 08/08/2012

    No tocante ao livro de Dn, convém primeiramente identificá-lo como uma obra cuja produção, no aspecto literário, não pode ser catalogada como de gênero uníssono, dado que seus primeiros seis capítulos são relatos (de caráter histórico ou não) cujo fim é conduzir o leitor a refletir o significado do comportamento de Daniel e seus amigos em território não-judeu, onde a ameaça da perda de identidade nacional é evidente (prisioneiros de guerra, em ambiente pagão, estimulados a aderir a um tipo de vida que fere sua cult...

  • Ademar (aracruz) - 08/08/2012

    muito bem DBonfim, agora que o senhor saiu da redoma de vidro, vamos debater. Sabe, há uma necessidade de uma certa arrogância para pregar a verdade. Sim, a verdade será arrogante para algum. Jesus foi arrogante para o mundo, mas santo e justo para Deus. Eu realmente não li seus comentários, mas passei os olhos e percebi o conteúdo. Meu comentários foi para desviar o assunto inútil (para mim) e trazer para algo mais importante (para todos), com certeza. A verdade é a coisa mais importante, pois não pode ser comprad...

  • DBonfim (Jaguarari) - 08/08/2012

    Senhor Ademar, antes de comentar Dn não vou me omitir de fazer algumas observações acerca dessa sua postagem. O senhor diz: “Eu não li os gigantescos comentários e nem vou entrar na discussão que para mim é inútil”. / Se o senhor não leu esses comentários, não tem condição de averiguar mérito nenhum quanto à utilidade ou inutilidade do que comentamos. / E, a bem da verdade, se vens para um diálogo com predisposições do tipo: “até o momento, a ÚNICA explicação lógica [sobre Daniel] é pregada pelo movimento ...

  • Ademar (aracruz) - 07/08/2012

    Eu não li os gigantescos comentários e nem vou entrar na discussão que para mim é inútil, isso uma opinião particular. Apenas gostaria de conhecer os tais comentários sobre as profecias de Dn...estou ansioso já que até o momento, a ÚNICA explicação lógica é pregada pelo movimento adventista, ou ao menos deveria ser...o catolicismo simplesmente nunca teve nenhuma expressividade quanto a profecias. Quero ver...

  • DBonfim (Jaguarari) - 07/08/2012

    Olá, Cícero. Desculpe-me por digitar “Ciro”, quando queria dizer “Cícero” (é a chamada “leitura viciada”: escrevemos uma coisa, quando queremos escrever outra, mas lemos como se tivéssemos feito como se deveria). Percebi o erro depois que havia postado. / No tocante à nossa discussão, pela qual decerto, também aprendi algo contigo, não consideraria que tais discussões são inúteis e vãs, nem são meras questões genealógicas, são questões de caráter contextual, fundamentais para o devido trato com o texto, no que se ...

  • Cícero (Blumenau-SC) - 07/08/2012

    Amigo DBonfim, apesar do debate estar interessante sobre as pessoas de Daniel (mas são problemas de genealogia), e poderíamos continuar falando também, dos eventos de séc. II a.C como profecias locais e futuras. No aspecto local vejo uma ligação forçada e conveniente (se é válida, não sei) dos judeus em atribuir Dn 11:21-35 a Antioco IV. Contudo, há inconsistências: 1. As descrições seguintes nos versículos 36-45 não estão coerentes com a vida de Epifânio. O verso 40 "No tempo do fim" aponta claramente para os últ...

  • DBonfim (Jaguarari) - 06/08/2012

    Estimado Ciro, acredito que essa discussão, se mantido esse nível de cordialidade, ainda que discordemos, será sempre proveitosa, dado que esse espaço é para isso mesmo: troca de informações e partilha de visões interpretativas. Mas ainda tenho algumas observações. / Disseste: “Então expressões na Bíblia como "filho de Abraão", tipo em Lc 19:9, estariam erradas? ou "filho de Davi" em Mt 1:1?” / Não misturemos as coisas, as expressões “filho de Davi” e “filho de Abraão” são termos cuja força não decorre de qualque...

  • Cícero (Blumenau-SC) - 06/08/2012

    Caro DBonfim, "Baltazar (príncipe co-regente da Babilônia, não rei, como informa Dn, o qual era filho de Nabônides, não de Nabucodonosor, como também informa equivocadamente Dn)" Se esse é o critério pra "filho e pai" ou seja; considerar o termo literalmente como genitor e descendente direto. Então expressões na Bíblia como "filho de Abraão" tipo em Lc 19;9 estariam erradas? ou "filho de Davi" em Mt 1:1? ou quando Saul chama Davi de meu filho? Também são erros? Quanto a datações: isto é um terreno muito m...

  • DBonfim (Jaguarari) - 05/08/2012

    Mão apressada. Onde se lê "sapatrias", leia-se: "satrapias".

  • DBonfim (Jaguarari) - 05/08/2012

    Cícero, a tentativa de associar a figura de “Dario medo” com Gubaru esbarra em dificuldades históricas e, sobretudo, bíblicas consideráveis. / Observas que eu parto “do pressuposto de que seria impossível haver um Dario antes de Ciro...”, e segues: “apesar do escasso material sobre esse Dario, o medo, falta de evidências não significa inexistência”. / Concordo que falta de evidências não implica inexistência. Entretanto, no caso de Dario, o medo, não se trata de mera escassez de informações extra-bíblicas, trat...

  • Cícero (Blumenau-SC) - 04/08/2012

    DBonfim, é claro que a Biblia não precisa da ciência pra provar sua inerrância e autoridade. E nem tem objetivo ser uma enciclopédia científica. Mas as ciências são fortes aliadas da Palavra. Até a existência de Deus tem amparo nas leis científicas da física. O Universo não poderia ser infinito, pois está se desgastando, ou seja, diminuindo sua energia utilizável, cfe. a 2ª LEI da Termodinâmica, com a diminuição na formação de estrelas, assim como o desgaste na terra, logo houve um INÍCIO de tudo. É incoerente, il...

  • DBonfim (Jaguarari) - 03/08/2012

    Olá, Cícero. Grato por sua atenção à postagem. E asseguro que lerei o site que me indicaste, que alias, começa por dizer: “A Bíblia não é um livro de ciência, mas é cientificamente precisa. Não temos conhecimento de qualquer evidência científica de que contradiz a Bíblia” (O que demonstra tratar-se de site de interesse religioso, não cientifico). Toda a matéria sugerida, procura respaldar a Bíblia na Ciência (mas não vou discutir o mérito disso agora)./ Somente algumas observações: concordo contigo quanto aos ...

  • Cícero (Blumenau-SC) - 03/08/2012

    Olá DBonfim! Tirando alguns pequenos erros de copistas e arredondamentos podemos dizer que a bíblia é praticamente 100% verídica. Se eu tomar um copo dágua com 99,99% de pureza não morrerei. Aliás, esses "erros" mostram ainda mais sua autoridade em todas as áreas, provando ser um trabalho de homens idôneos sujeitos a falhas. Apenas o texto original é livre de erros, não as cópias. O NT é uma revelação posterior/progressiva dos mistérios ocultos do AT cfe. Cl 1:26, estando obviamente aí o Sermão do Monte. "...

  • DBonfim (Jaguarari) - 01/08/2012

    Somente uma correção: lendo o texto de Dn 9,1, fui influenciado pelo texto a chamar Dario, o persa, de “filho” de Xerxes (como consta da Bíblia, quando eu queria explicar que é o contrário). Dario não era filho de Xerxes, mas PAI(embora Dn diga que era filho). Assim, só essa observação que já esclareci, reenvio o texto./ Assim: Olá Cícero, primeiramente, meu sincero respeito à sua cultura. És diferente de alguns que postam por aqui, os quais, na falta de argumentos, partem para ofensas. Afinal, esse espaço é pa...

  • DBonfim (Jaguarari) - 01/08/2012

    Olá Cícero, primeiramente, meu sincero respeito à sua cultura. És diferente de alguns que postam por aqui, os quais, na falta de argumentos, partem para ofensas. Afinal, esse espaço é para debate de idéias, não para agressões. E sabemos que vamos encontrar quem pense diferente de nós e precisamos estar preparados para isso, ou então não discutimos. / No tocante às suas objeções, desejo deixar claro que minhas considerações não são novidade no mundo acadêmico (católico, luterano, anglicano, metodista e segmentos ...

  • Cícero (Blumenau-SC) - 01/08/2012

    DBonfim, de fato não importa quem escreveu o Pentateuco, contanto que foi inspirado Divinamente. Mas fontes extrabíblicas históricas e arqueológicas e passagens nos livros atestam pra Moisés. Em Dt 31:9 por ex. é bem claro: "E Moisés escreveu esta lei, e a deu aos sacerdotes, filhos de Levi,..." Pedro e João - iletrados/analfabetos? Mas isso em relação aos escribas na instrução da cultura e autoridade religiosa rabínica do Sinédrio. Incultos não significa que não sabiam ler e escrever. Não há evidências que a au...

  • DBonfim (Jaguarari) - 31/07/2012

    Cícero, o senhor acredita na inspiração do Pentateuco só se Moisés for seu autor? – Isso é pressuposto extremamente secundário e em nada aumenta ou diminui o valor dos livros que o compõem. / Os antigos hebreus não gozavam de meios de datação nem métodos de pesquisa para averiguar autoria de obras. Qualquer judeu diria que Moisés escreveu a Torah porque ele é a referência humana da Lei, e tinha-se por costume atribuir-se obras a personagens de peso cultural, como forma de homenagem a eles e de preservação de es...

  • Cícero (Blumenau-SC) - 31/07/2012

    Caríssimos colegas, não vos entendo: "escândalo para os que imaginam que a inerrância bíblica tem qualquer relação com história e ciência, quando sua inerrância é exclusivamente em matéria de fé e salvação, não de ciência" Então ela não seria inerrante? Mas justamente a história, arqueologia e ciência confirmam vários eventos e fatos da Bíblia provando sua inerrância completa. Senão ela seria falha. Ora, "Moisés escreveu todas as palavras do Senhor..." Ex 24:4 em conexão com Dt 31:9. Os achados de Ad...

  • DBonfim (Jaguarari) - 30/07/2012

    Adailton, estas corretíssimo em suas argumentações acerca da origem dos textos da Torah, que a tradição judaica atribui a Moisés, embora a REDAÇÃO FINAL desses textos seja tardia. Mas não se iluda achando que todos que por aqui passarão concordarão com isso. E logo citarão uma avalanche de textos no intuito de “provar” que Moisés realmente escreveu a Torah (o Pentateuco). E dirão: Jesus falou de Moisés como autor da Torah (Ver Lc 24,27, por exemplo), como se Cristo viesse até nós para discutir tradições religiosas ...

  • Adailton (São José) - 30/07/2012

    1. Entraram, pois Qumran não critério para inclusão, apenas informei que lá foram encontrados fragmentos dos textos;
    2. O Pentateuco não foi escrito por Moisés! Antes de serem escritos, esses livros foram passados, por tradição oral, de geração em geração, e somente foram "escritos", ou seja, colocados em pergaminho, na época do rei Davi. Gênesis 1 parece ser um acréscimo do período babilônico;
    3. "... falou..." é do verbo falar. Não é "escrever". Poucos são os textos, no Primeiro Testamento, que foram "e...

  • Cícero (Blumenau-SC) - 30/07/2012

    Caro Adailton, 1. OK. Mesmo assim Ester e Neemias entraram no Cânon. 2. Se um dos critérios era ser escrito apenas em Israel, então todo o Pentateuco deveria ser excluído, pois Moisés escreveu no deserto e nem entrou em Israel. Daniel escreveu em aramaico, de 2:4 até o fim do cap.7, a língua internacional da época, justamente o trecho que fala das nações gentílicas. 3. Jesus ao usar a expressão: "...de que falou o profeta Daniel..." obviamente se refere aos escritos do profeta no livro dele; logo, era da ...

  • Adailton (São José) - 28/07/2012

    Então, vejamos:
    1. Os manuscritos do Mar Morto, de Qumran, onde viveram os Essênios, entre o século II a.C. e o ano 70 d.C., contém fragmentos de todos os livros canônicos e deuterocanônicos, exceto Ester e Neemias, e também alguns hoje chamados apócrifos, mas que eram comumente aceitos naquela época.
    2. Os critérios usados pelos fariseus foram: apenas os encontrados em hebraico; apenas os que foram escritos até 200 a.C.; apenas os escritos em Israel! Por isso foram excluídos os livros: 1, 2, 3 e 4 Macabe...

  • Cícero (Blumenau-SC) - 27/07/2012

    Caro Adailton, o colega Márcio está correto. A precisão histórica dos registros e o caráter profético sobrenatural de vários eventos futuros é feita pelo próprio livro em Dn 9:24 etc, confirmando ser uma obra do séc 6 AC. Posteriormente o próprio Jesus asseverou a autoria de Daniel em Mt 24:15. Quanto aos nomes, entendo que os nomes válidos de fato, são os dados pelos nossos pais, e não por um eunuco estrangeiro! A cultura judaica era(é) muito reservada e fechada. Neste caso; a intenção dos babilônios mudand...

  • Márcio ADV (Serra) - 27/07/2012

    Não, o critério para a colocação no cânon não era ser escrito dentro ou fora de Israel. Um dos critérios era que deveria ser escrito na língua hebraica ou aramaica (grego não podia). Alem de Daniel, o livro de Ester (escrito por Mardoqueu) e o livro de Ezequiel foram escritos no exílio.Assisti uma vez, uma palestra do Professor Archer Jr explicando porque Daniel foi escrito no 6º século a.C..Morfologia, recursos linguísticos, etc....O aramaico de Daniel é anterior ao aramaico dos Pergaminhos do Mar Morto ( 300 a 1...

  • Adailton (São José) - 27/07/2012

    Cícero, a citação está correta! Em Dn 3,12 eles são citados \"Sidrac, Misac e Abdênago\". Lendo Dn 1,7 vemos que foi o chefe dos eunucos que "lhes deu outros nomes", ou seja, são novos nomes. Assim como Simão foi mudado para Cefas e Saulo para Paulo. Era comum as pessoas terem um nome hebraico e um nome "estrangeiro"
    Quanto a época em que foi escrito, por certo não o foi durante o cativeiro na Babilônia, ou não teria sido aceito no concílio de Jamnia, quando os Fariseus definiram o canon judaico, excluindo os ...

  • Cícero (Blumenau-SC) - 26/07/2012

    Dona Silvia, favor ser mais criteriosa em seus textos. Os nomes não são estes! São apenas nomes alterados na corte babilônica em homenagem a seus deuses. Os nomes originais verdadeiros dos hebreus são: Hananias, Misael, Azarias. E quem disse que o momento histórico da escrita se refere a Antioco IV no séc. II AC?? Daniel escreveu este livro durante o séc. VI AC na corte babilônica em cativeiro.

  • Cícero (Blumenau-SC) - 26/07/2012

    Dona Silvia, favor ser mais criteriosa em seus textos. Os nomes não são estes! São apenas nomes alterados na corte babilônica em homenagem a seus deuses. Os nomes originais verdadeiros dos hebreus são: Hananias, Misael, Azarias. E quem disse que o momento histórico da escrita se refere a Antioco IV no séc. II AC?? Daniel escreveu este livro durante o séc. VI AC na corte babilônica em cativeiro.

  • DBonfim (Jaguarari) - 26/07/2012

    Diga-se: Josefo é o principal historiador da Antiguidade [Judaica]- esqueci de digitar o complemento. Baixe a História dos Hebreus escrita por ele e leia tudo o que ele,como historiador, fala desses fatos (a ação de Antioco IV contra os judeus, o que provocou a redação do livro de Dn). Abraços.

  • DBonfim (Jaguarari) - 26/07/2012

    Olá, Marcio ADV. Qualquer bom livro de História Antiga dos Hebreus pode ser consultado. Agora, posso te indicar o Livro “A História dos Hebreus”, de autoria do renomado historiador judeu (dos tempos de Jesus), Flávio Josefo, que foi traduzido por Vicente Pedroso e publicado pela CPAD (que é evangélica), não pelo valor religioso da obra, já que não foi escrita para esse fim, mas porque por ela, o estudioso da Bíblia pode conhecer um pouco da História dos Hebreus (inclusive pela Bíblia, bastante citada por Josefo). O...

  • Márcio ADV (Serra) - 25/07/2012

    DBomfim, você tem algum registro histórico para comprovar o que você tem falado ou é apenas interpretação do livro de Daniel?

  • DBonfim (Jaguarari) - 25/07/2012

    “Em Dn 3-4, o rei Nabudonosor é nominado, mas o momento histórico refere-se à dominação dos reis selêucidas, especialmente Antíoco IV, que implantou à força a religião e a cultura grega, através de festas gregas e o culto aos deuses gregos, impedindo também as manifestações religiosas judaicas”/ Realmente, o livro de Daniel é um dos mais iminentes exemplos de algo que tenho procurado comentar, que sei, causa em alguns certa estranheza: nenhum livro bíblico surge do súbito desejo de se escrever, mas de necessi...