Uma janela sobre o mundo bíblico

O que Jesus quis dizer em Lucas 22,35-38?



  • Pergunta de Aniele, joão pessoa-pb
  • 20181
  • 09/05/2012
Odalberto Domingos Casonatto

Olá Aniele.

Os versículos 35-38 do capítulo 22 de Lucas poderíamos intitular como a hora do “embate definitivo”. Ele esta inserido no capítulo que apresenta o confronto final de Jesus em Jerusalém. É o momento crucial de sua vida terrena, enfrentará os poderosos em Jerusalém. É o momento decisivo e por causa de suas atitudes deverá pagar um alto preço. Jesus esta sendo rejeitado, pois anuncia uma nova história para a humanidade, o projeto de uma sociedade totalmente nova, construída pelos marginalizados do atual sistema de morte e opressão. Jesus vai ser traído, preso, condenado morto em cumprimento ao Projeto divino. Mas isto não acontece para confirmar que o projeto novo que ele anuncia seja de morte, opressão e ausência de liberdade. O projeto divino quer vida para todos e liberdade plena.

A descrição deste momento de luta para Jesus, a chegada a Jerusalém, é considerado como final de caminho. Neste final Jesus encontra, dor, traição sofrimento sendo julgado como um fora da Lei, um criminoso e perturbador da ordem estabelecida. O anuncio de Jesus para a missão dos apóstolos ocorrida anteriormente é alegre, animada e compensadora. Aqui aparecem as consequências deste anúncio: perseguição, traição, prisão, sofrimento e morte. Este itinerário de dor que passará Jesus, será o caminho futuro de seus discípulos. O trecho de Lucas diz que chegou a hora da luta. Aparece na narrativa uma espada que tem caráter simbólico, querendo dizer que não existe mais possibilidade de voltar para trás, é necessário enfrentar e resistir.

A caracterização da espada nos leva as palavras de Jesus que afirma em Lc 16,16:

“16 Lei e os Profetas até João! Daí em diante, é anunciada a Boa Nova do Reino de Deus, e todos se esforçam para entrar nele, com violência” (Lc 16,16).

 

As palavras de Jesus falam não em violência que destrói a vida, mas aquela que força a entrada no caminho de uma vida plena para todos. Os discípulos confirmam a total incompreensão nas palavras de Jesus, trazendo duas espadas para Jesus. As mesmas que reproduzem a situação de morte em que viviam. A atitude de Jesus foi à resposta lacônica: “É o suficiente”, melhor entendendo, para mim isto “basta”, com um sorriso irônico. Somente depois da ressurreição de Jesus os discípulos viram o alcance da proposta de Jesus.

20181 visitas



Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook


Comentários mais antigos

  • antonio AVLIS (SÃO PAULO) - 16/04/2016

    Deus continue abençoando o irmão. A bíblia nos da exemplos físicos para que apliquemos espiritualmente e esse é mais um exemplo; Jesus não é o Messias que os judeus esperam exatamente porque Ele não usou e nunca incentivou violência. Temos que ser cuidadosos quanto ao radicalismo.

  • paulo marcelo ramires (campo grande) - 31/01/2016

    acho que à palavra de Jesus pode-se dar as duas interpretações, defender a vida terrena dos seus com espada e também, comprar a espada do Espírito, que é a Palavra de Deus (a bíblia), como diz Paulo em Efésios 6: 10-18. Não sei como era a posse da bíblia naquela época, é possível concluir que a pessoa que assim desejasse poderia pregar na sinagoga, ou seja uma pessoa comum. Isso dá a entender que era possível adquirir os livros da lei.

  • Dener (Porto Velho) - 16/01/2016

    O autor falou muito mas nada explicou. Quando Jesus disse BASTA, pelas duas espadas, estava querendo dizer que ele teria a vitória contra o DRAGÃO VERMELHO (do Ap. 12), já que o mesmo faz o ritual das duas espadas e da seta no coração para aqueles que apostataram da fé, para os que têm fé na Ave, para os que fizeram pacto no mundo. Jesus quis dizer que a vitória esta na sua mão, pois Ele é o Alfa e o Ômega. Cada espada é um 44, as duas são 88. Mas o Ômega é 5880, ou seja, 885, que significa MORTE DO RITUAL DAS ...

  • Alex Montgisard (Campos de Jordão) - 23/11/2015

    Não concordo. Está claro no Evangelho de João que o sentido NÃO é simbólico. Vemos, no cap. 18 vers. 10: "Então, Simão Pedro puxou da espada que trazia e feriu o servo do sumo sacerdote, cortando-lhe a orelha direita [...]". Ou seja, os discípulos, ou pelos menos alguns deles, portavam espadas.

  • marcos dos anjos (barauna) - 10/11/2015

    Discordo. Se a palavra de Jesus fosse uma metáfora, ele não teria mandado vender a capa e comprar uma espada!!!

  • João RA (São Paulo) - 02/02/2015

    A muito que desejava ministrar ao povo de Deus sobre esta palavra das duas espadas pois que, raramente se ouve pregar sobre esta palavra, porque faz-se necessário entender corretamente o sentido da mesma, por isso busquei ajuda na internet e essa explicação foi de muita ajuda obrigado!

  • Carlos Matheus (Fortaleza) - 30/09/2014

    Bom demais meu irmão! Deus continue te abençoando! Paz de Cristo!

  • GASPARIN ((SBC)) - 09/05/2012

    Luiz, muito bom meu amigo... Parabéns pelas palavras e discernimento Desta forma ficou claro o entendimento no contexto e situação que CRISTO passava e não inclina para a interpletação fortuita apenas da palavra escrita que leva tantos a entender de forma equivocada .... Um forte abraço