Uma janela sobre o mundo bíblico

Jesus curou dois ou um cego em Jericó?



  • Pergunta de Paulo Cezar, Taboão da Serra - SP
  • 34239
  • 23/01/2011
Odalberto Domingos Casonatto

Leia mais sobre Milagres | Jesus | Mateus



Paulo Cezar! de Taboão da Serra - SP!  



Aí está uma resposta para tua pergunta, vinda dos evangelhos sinóticos, segue uma explicação: Jesus curou dois ou um cego em Jericó. A primeira vista parece que existe uma confusão entre as narrativas, pois os evangelistas Mateus e Marcos citam a cura de dois cegos e Lucas cita a cura de um cego e ainda aparece o nome dele, Bartimeu. Outras dúvidas existem no texto: afinal esta cura foi quando Jesus entrou em Jericó ou saiu de Jericó. (conferir os textos: Mateus 20,29-34; Marcos 10,46-52 e Lucas 18,35-43). Para entendermos estas modificações no texto, hoje existem estudos que nos ajudam e dão uma luz na interpretação das alterações. Um ou dois cegos? A diferença de narrativas que aparece nos três evangelhos é uma contradição? É claro que não. Os evangelistas estariam falando a verdade, mas relatando o fato da cura de uma maneira diferente. Eles deram ao milagre do cego, narrativa oral que conheciam no momento e fragmentos escritos, considerações próprias que acreditavam ser importantes e que poderiam ser facilmente entendida pelos que iriam ler e ouvir nas comunidades respondendo a obra de evangelização que realizavam: tornar conhecido Jesus Cristo. A cura do cego vem narrada em três evangelhos. Naturalmente trazem elementos importantes tais como: a contribuição do autor em cada narrativa evangélica; as comunidades onde o texto surgiu; a época em que foram escritas; os locais no Império Romano (como Jerusalém, Roma e Antioquia); e os cristãos que existiam neste tempo. A concordância sinótica nos ajuda a entender as diferenças do texto Os três Evangelhos postos em concordância sinótica, concluí que Jesus não foi a Jericó uma só vez, mas sim diversas vezes. (Caso de Mateus é uma exceção na sua narração coloca apenas uma viagem de Jesus a Jerusalém). Entre as vezes que para lá se dirigiu, em duas delas curou cegos: uma vez foi Bartimeu, filho de Timeu, quem recebeu a graça; outra vez foram outros dois cegos que também tiveram a restituição da vista. Na hora de colocar este milagre na narrativa do evangelho, os autores utilizaram as narrativas orais que existiam, e possivelmente acrescentaram elementos catequéticos no texto. Em outras palavras eles queriam dizer a Comunidade que é preciso (abrir as vistas) enxergar o caminho que Jesus deveria fazer: ir para Jerusalém De qualquer modo, não há uma dificuldade intransponível nessa passagem. Os relatos podem ser entendidos de uma maneira perfeitamente compatível, se levarmos em conta estas considerações elencadas acima.


34239 visitas



Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook