Uma janela sobre o mundo bíblico

Se na Bíblia se fala tanto que é pecado a idolatria, por que até o Papa beija estátua e se curva perante ela?



  • Pergunta de Maria, São Paulo
  • 1848
  • 05/10/2017
Luiz da Rosa

Leia mais sobre Igreja católica | Santos |


A devoção aos santos e às imagens é um tema controvertido e provoca tanta discussão, muitas vezes pouco cristãs, aqui no site. Há coisas que dividem as confissões religiosas, sobretudo evangélicos e católicos. Preferimos falar daquilo que nos une, obviamente a Bíblia. Acredito que ela seja a base para toda conversa, imprescindível se somos cristãos de coração e acreditamos que a Verdade é Cristo e não nossos conceitos teológicos.

Obviamente a sua pergunta merece uma resposta, pois deveríamos poder falar de tudo e esperamos encontrar sempre ouvidos abertos para escutar, capazes de entender a diferença e deixar as coisas entrarem no coração.

 

Idolatria na Bíblia

O ponto de partida é óbvio: o culto a deuses é uma questão decisiva para o povo hebreu. É preciso adorar unicamente ao Senhor, o único Deus. E o povo vivia caindo na tentação de adorara a outros deuses. Nós hoje estamos muito distantes da realidade bíblia, principalmente daquela do Antigo Testamento, e não conseguimos nos situar historicamente, não conseguimos identificar o que são esses deuses tão mencionados no Antigo Testamento, pois falta conhecimento sobre aquela cultura.

Uma imagem que poderia ajudar, usada também por alguns profetas, é o matrimônio. O povo se casou com Deus Yahweh. Havia naquele tempo outros deuses que os hebreus podiam colocar no lugar do Senhor. Pensemos a Baal, Dagon, Astarte, etc. Abraçar esses deuses, que a Bíblia chama de 'não deuses' (Deuteronômio 32,17) era como contrair um novo matrimônio: você se divorcia do Senhor e vai viver com outro... É uma questão de substância e não de forma!

Esse seria o princípio para julgar o comportamento de cristãos que têm uma expressão de fé relacionada com os santos (e imagens). Pessoalmente não acredito que tal atitude seja comparável à idolagria vetero-testamentária. Aqui estamos falando de uma questão de forma, de como chegar até ao Senhor e não de rejeitá-lo. A substância é sempre o Senhor. Seria diferente se um cristão começasse a seguir a Buda...

Voltando à imagem do casamento, se você tem uma esposa ou esposo, conhecer sua família, ver as fotos de seus antepassados não é uma traição, mas uma vontade de entrar mais intimamente na sua vida e descobrir como chegar de maneira mais fácil no coração dele ou dela.

Não acredito que para ser cristão você deva necessariamente ter uma devoção para os santos, mas também não vejo contradição nessa expressão de fé.

1848 visitas



Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook