Uma janela sobre o mundo bíblico

Lucas


Lucas 11



  1. Estava Jesus em certo lugar orando e, quando acabou, disse-lhe um dos seus discípulos: Senhor, ensina-nos a orar, como também João ensinou aos seus discípulos.
  2. Ao que ele lhes disse: Quando orardes, dizei: Pai, santificado seja o teu nome; venha o teu reino;
  3. d√°-nos cada dia o nosso p√£o cotidiano;
  4. e perdoa-nos os nossos pecados, pois também nós perdoamos a todo aquele que nos deve; e não nos deixes entrar em tentação, (mas livra-nos do mal.)
  5. Disse-lhes também: Se um de vós tiver um amigo, e se for procurá-lo à meia-noite e lhe disser: Amigo, empresta-me três pães,
  6. pois que um amigo meu, estando em viagem, chegou a minha casa, e n√£o tenho o que lhe oferecer;
  7. e se ele, de dentro, responder: N√£o me incomodes; j√° est√° a porta fechada, e os meus filhos est√£o comigo na cama; n√£o posso levantar-me para te atender;
  8. digo-vos que, ainda que se levante para lhos dar por ser seu amigo, todavia, por causa da sua importunação, se levantará e lhe dará quantos pães ele precisar.
  9. Pelo que eu vos digo: Pedi, e dar-se-vos-√°; buscai e achareis; batei, e abrir-se-vos-√°;
  10. pois todo o que pede, recebe; e quem busca acha; e ao que bate, abrir-se-lhe-√°.
  11. E qual o pai dentre vós que, se o filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou, se lhe pedir peixe, lhe dará por peixe uma serpente?
  12. Ou, se pedir um ovo, lhe dar√° um escorpi√£o?
  13. Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?
  14. Estava Jesus expulsando um dem√īnio, que era mudo; e aconteceu que, saindo o dem√īnio, o mudo falou; e as multid√Ķes se admiraram.
  15. Mas alguns deles disseram: √Č por Belzebu, o pr√≠ncipe dos dem√īnios, que ele expulsa os dem√īnios.
  16. E outros, experimentando-o, lhe pediam um sinal do céu.
  17. Ele, porém, conhecendo-lhes os pensamentos, disse-lhes: Todo reino dividido contra si mesmo será assolado, e casa sobre casa cairá.
  18. Ora, pois, se Satan√°s est√° dividido contra si mesmo, como subsistir√° o seu reino? Pois dizeis que eu expulso dos dem√īnios por Belzebu.
  19. E, se eu expulso os dem√īnios por Belzebu, por quem os expulsam os vossos filhos? Por isso eles mesmos ser√£o os vossos juizes.
  20. Mas, se √© pelo dedo de Deus que eu expulso os dem√īnios, logo √© chegado a v√≥s o reino de Deus.
  21. Quando o valente guarda, armado, a sua casa, em segurança estão os seus bens;
  22. mas, sobrevindo outro mais valente do que ele, e vencendo-o, tira-lhe toda a armadura em que confiava, e reparte os seus despojos.
  23. Quem não é comigo, é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha.
  24. Ora, havendo o espírito imundo saindo do homem, anda por lugares áridos, buscando repouso; e não o encontrando, diz: Voltarei para minha casa, donde saí.
  25. E chegando, acha-a varrida e adornada.
  26. Ent√£o vai, e leva consigo outros sete esp√≠ritos piores do que ele e, entrando, habitam ali; e o √ļltimo estado desse homem vem a ser pior do que o primeiro.
  27. Ora, enquanto ele dizia estas coisas, certa mulher dentre a multid√£o levantou a voz e lhe disse: Bem-aventurado o ventre que te trouxe e os peitos em que te amamentaste.
  28. Mas ele respondeu: Antes bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus, e a observam.
  29. Como aflu√≠ssem as multid√Ķes, come√ßou ele a dizer: Gera√ß√£o perversa √© esta; ela pede um sinal; e nenhum sinal se lhe dar√°, sen√£o o de Jonas;
  30. porquanto, assim como Jonas foi sinal para os ninivitas, também o Filho do homem o será para esta geração.
  31. A rainha do sul se levantará no juízo com os homens desta geração, e os condenará; porque veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão; e eis, aqui quem é maior do que Salomão.
  32. Os homens de Nínive se levantarão no juízo com esta geração, e a condenarão; porque se arrependeram com a pregação de Jonas; e eis aqui quem é maior do que Jonas.
  33. Ningu√©m, depois de acender uma candeia, a p√Ķe em lugar oculto, nem debaixo do alqueire, mas no velador, para que os que entram vejam a luz.
  34. A candeia do corpo s√£o os olhos. Quando, pois, os teus olhos forem bons, todo o teu corpo ser√° luminoso; mas, quando forem maus, o teu corpo ser√° tenebroso.
  35. Vê, então, que a luz que há em ti não sejam trevas.
  36. Se, pois, todo o teu corpo estiver iluminado, sem ter parte alguma em trevas, ser√° inteiramente luminoso, como quando a candeia te alumia com o seu resplendor.
  37. Acabando Jesus de falar, um fariseu o convidou para almoçar com ele; e havendo Jesus entrado, reclinou-se à mesa.
  38. O fariseu admirou-se, vendo que ele não se lavara antes de almoçar.
  39. Ao que o Senhor lhe disse: Ora vós, os fariseus, limpais o exterior do corpo e do prato; mas o vosso interior do copo e do prato; mas o vosso interior está cheio de rapina e maldade.
  40. Loucos! quem fez o exterior, não fez também o inferior?
  41. Dai, porém, de esmola o que está dentro do copo e do prato, e eis que todas as coisas vos serão limpas.
  42. Mas ai de vós, fariseus! porque dais o dízimo da hortelã, e da arruda, e de toda hortaliça, e desprezais a justiça e o amor de Deus. Ora, estas coisas importava fazer, sem deixar aquelas.
  43. Ai de v√≥s, fariseus! porque gostais dos primeiros assentos nas sinagogas, e das sauda√ß√Ķes nas pra√ßas.
  44. Ai de vós! porque sois como as sepulturas que não aparecem, sobre as quais andam os homens sem o saberem.
  45. Disse-lhe, então, um dos doutores da lei: Mestre, quando dizes isso, também nos afrontas a nós.
  46. Ele, porém, respondeu: Ai de vós também, doutores da lei! porque carregais os homens com fardos difíceis de suportar, e vós mesmos nem ainda com um dos vossos dedos tocais nesses fardos.
  47. Ai de v√≥s! porque edificais os t√ļmulos dos profetas, e vossos pais os mataram.
  48. Assim sois testemunhas e aprovais as obras de vossos pais; porquanto eles os mataram, e v√≥s lhes edificais os t√ļmulos.
  49. Por isso diz também a sabedoria de Deus: Profetas e apóstolos lhes mandarei; e eles matarão uns, e perseguirão outros;
  50. para que a esta geração se peçam contas do sangue de todos os profetas que, desde a fundação do mundo, foi derramado;
  51. desde o sangue de Abel, até o sangue de Zacarias, que foi morto entre o altar e o santuário; sim, eu vos digo, a esta geração se pedirão contas.
  52. Ai de vós, doutores da lei! porque tirastes a chave da ciência; vós mesmos não entrastes, e impedistes aos que entravam.
  53. Ao sair ele dali, começaram os escribas e os fariseus a apertá-lo fortemente, e a interrogá-lo acerca de muitas coisas,
  54. armando-lhe ciladas, a fim de o apanharem em alguma coisa que dissesse.

Lucas