Uma janela sobre o mundo bíblico

João


João 8



  1. Mas Jesus foi para o Monte das Oliveiras.
  2. Então respondeu Bildade, o suíta, dizendo:
  3. Pela manhã cedo voltou ao templo, e todo o povo vinha ter com ele; e Jesus, sentando-se o ensinava.
  4. Até quando falarás tais coisas, e até quando serão as palavras da tua boca qual vento impetuoso?
  5. Então os escribas e fariseus trouxeram-lhe uma mulher apanhada em adultério; e pondo-a no meio,
  6. Perverteria Deus o direito? Ou perverteria o Todo-Poderoso a justiça?
  7. disseram-lhe: Mestre, esta mulher foi apanhada em flagrante adultério.
  8. Se teus filhos pecaram contra ele, ele os entregou ao poder da sua transgressão.
  9. Ora, Moisés nos ordena na lei que as tais sejam apedrejadas. Tu, pois, que dizes?
  10. Mas, se tu com empenho buscares a Deus, e ,ao Todo-Poderoso fizeres a tua súplica,
  11. Isto diziam eles, tentando-o, para terem de que o acusar. Jesus, porém, inclinando-se, começou a escrever no chão com o dedo.
  12. se fores puro e reto, certamente mesmo agora ele despertará por ti, e tornará segura a habitação da tua justiça.
  13. Mas, como insistissem em perguntar-lhe, ergueu-se e disse-lhes: Aquele dentre vós que está sem pecado seja o primeiro que lhe atire uma pedra.
  14. Embora tenha sido pequeno o teu princípio, contudo o teu último estado aumentará grandemente.
  15. E, tornando a inclinar-se, escrevia na terra.
  16. Indaga, pois, eu te peço, da geração passada, e considera o que seus pais descobriram.
  17. Quando ouviram isto foram saindo um a um, a começar pelos mais velhos, até os últimos; ficou só Jesus, e a mulher ali em pé.
  18. Porque nós somos de ontem, e nada sabemos, porquanto nossos dias sobre a terra, são uma sombra.
  19. Então, erguendo-se Jesus e não vendo a ninguém senão a mulher, perguntou-lhe: Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou?
  20. Não te ensinarão eles, e não te falarão, e do seu entendimento não proferirão palavras?
  21. Respondeu ela: Ninguém, Senhor. E disse-lhe Jesus: Nem eu te condeno; vai-te, e não peques mais.]
  22. Pode o papiro desenvolver-se fora de um pântano. Ou pode o junco crescer sem água?
  23. Então Jesus tornou a falar-lhes, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue de modo algum andará em trevas, mas terá a luz da vida.
  24. Quando está em flor e ainda não cortado, seca-se antes de qualquer outra erva.
  25. Disseram-lhe, pois, os fariseus: Tu dás testemunho de ti mesmo; o teu testemunho não é verdadeiro.
  26. Assim são as veredas de todos quantos se esquecem de Deus; a esperança do ímpio perecerá,
  27. Respondeu-lhes Jesus: Ainda que eu dou testemunho de mim mesmo, o meu testemunho é verdadeiro; porque sei donde vim, e para onde vou; mas vós não sabeis donde venho, nem para onde vou.
  28. a sua segurança se desfará, e a sua confiança será como a teia de aranha.
  29. Vós julgais segundo a carne; eu a ninguém julgo.
  30. Encostar-se-á à sua casa, porém ela não subsistirá; apegar-se-lhe-á, porém ela não permanecerá.
  31. E, mesmo que eu julgue, o meu juízo é verdadeiro; porque não sou eu só, mas eu e o Pai que me enviou.
  32. Ele está verde diante do sol, e os seus renovos estendem-se sobre o seu jardim;
  33. Ora, na vossa lei está escrito que o testemunho de dois homens é verdadeiro.
  34. as suas raízes se entrelaçam junto ao monte de pedras; até penetra o pedregal.
  35. Sou eu que dou testemunho de mim mesmo, e o Pai que me enviou, também dá testemunho de mim.
  36. Mas quando for arrancado do seu lugar, então este o negará, dizendo: Nunca te vi.
  37. Perguntavam-lhe, pois: Onde está teu pai? Jesus respondeu: Não me conheceis a mim, nem a meu Pai; se vós me conhecêsseis a mim, também conheceríeis a meu Pai.
  38. Eis que tal é a alegria do seu caminho; e da terra outros brotarão.
  39. Essas palavras proferiu Jesus no lugar do tesouro, quando ensinava no templo; e ninguém o prendeu, porque ainda não era chegada a sua hora.
  40. Eis que Deus não rejeitará ao reto, nem tomará pela mão os malfeitores;
  41. Disse-lhes, pois, Jesus outra vez: Eu me retiro; buscar-me-eis, e morrereis no vosso pecado. Para onde eu vou, vós não podeis ir.
  42. ainda de riso te encherá a boca, e os teus lábios de louvor.
  43. Então diziam os judeus: Será que ele vai suicidar-se, pois diz: Para onde eu vou, vós não podeis ir?
  44. Teus aborrecedores se vestirão de confusão; e a tenda dos ímpios não subsistirá.
  45. Disse-lhes ele: Vós sois de baixo, eu sou de cima; vós sois deste mundo, eu não sou deste mundo.
  46. Por isso vos disse que morrereis em vossos pecados; porque, se não crerdes que eu sou, morrereis em vossos pecados.
  47. Perguntavam-lhe então: Quem és tu? Respondeu-lhes Jesus: Exatamente o que venho dizendo que sou.
  48. Muitas coisas tenho que dizer e julgar acerca de vós; mas aquele que me enviou é verdadeiro; e o que dele ouvi, isso falo ao mundo.
  49. Eles não perceberam que lhes falava do Pai.
  50. Prosseguiu, pois, Jesus: Quando tiverdes levantado o Filho do homem, então conhecereis que eu sou, e que nada faço de mim mesmo; mas como o Pai me ensinou, assim falo.
  51. E aquele que me enviou está comigo; não me tem deixado só; porque faço sempre o que é do seu agrado.
  52. Falando ele estas coisas, muitos creram nele.
  53. Dizia, pois, Jesus aos judeus que nele creram: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sois meus discípulos;
  54. e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.
  55. Responderam-lhe: Somos descendentes de Abraão, e nunca fomos escravos de ninguém; como dizes tu: Sereis livres?
  56. Replicou-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é escravo do pecado.
  57. Ora, o escravo não fica para sempre na casa; o filho fica para sempre.
  58. Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.
  59. Bem sei que sois descendência de Abraão; contudo, procurais matar-me, porque a minha palavra não encontra lugar em vós.
  60. Eu falo do que vi junto de meu Pai; e vós fazeis o que também ouvistes de vosso pai.
  61. Responderam-lhe: Nosso pai é Abraão. Disse-lhes Jesus: Se sois filhos de Abraão, fazei as obras de Abraão.
  62. Mas agora procurais matar-me, a mim que vos falei a verdade que de Deus ouvi; isso Abraão não fez.
  63. Vós fazeis as obras de vosso pai. Replicaram-lhe eles: Nós não somos nascidos de prostituição; temos um Pai, que é Deus.
  64. Respondeu-lhes Jesus: Se Deus fosse o vosso Pai, vós me amaríeis, porque eu saí e vim de Deus; pois não vim de mim mesmo, mas ele me enviou.
  65. Por que não compreendeis a minha linguagem? é porque não podeis ouvir a minha palavra.
  66. Vós tendes por pai o Diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai; ele é homicida desde o princípio, e nunca se firmou na verdade, porque nele não há verdade; quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio; porque é mentiroso, e pai da mentira.
  67. Mas porque eu digo a verdade, não me credes.
  68. Quem dentre vós me convence de pecado? Se digo a verdade, por que não me credes?
  69. Quem é de Deus ouve as palavras de Deus; por isso vós não as ouvis, porque não sois de Deus.
  70. Responderam-lhe os judeus: Não dizemos com razão que és samaritano, e que tens demônio?
  71. Jesus respondeu: Eu não tenho demônio; antes honro a meu Pai, e vós me desonrais.
  72. Eu não busco a minha glória; há quem a busque, e julgue.
  73. Em verdade, em verdade vos digo que, se alguém guardar a minha palavra, nunca verá a morte.
  74. Disseram-lhe os judeus: Agora sabemos que tens demônios. Abraão morreu, e também os profetas; e tu dizes: Se alguém guardar a minha palavra, nunca provará a morte!
  75. Porventura és tu maior do que nosso pai Abraão, que morreu? Também os profetas morreram; quem pretendes tu ser?
  76. Respondeu Jesus: Se eu me glorificar a mim mesmo, a minha glória não é nada; quem me glorifica é meu Pai, do qual vós dizeis que é o vosso Deus;
  77. e vós não o conheceis; mas eu o conheço; e se disser que não o conheço, serei mentiroso como vós; mas eu o conheço, e guardo a sua palavra.
  78. Abraão, vosso pai, exultou por ver o meu dia; viu-o, e alegrou-se.
  79. Disseram-lhe, pois, os judeus: Ainda não tens cinqüenta anos, e viste Abraão?
  80. Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão existisse, eu sou.
  81. Então pegaram em pedras para lhe atirarem; mas Jesus ocultou-se, e saiu do templo.

João